Doc Ged Sistemas
  • 74 9803-7822
  • 71 9900-7822
  • 8607-7805
  • 9295-4681

Notícia


 05/01/2017 | ECONOMIA

Conheça os principais passos para uma gestão municipal eficiente


Conheça os principais passos para uma gestão municipal eficiente

Conheça os principais passos para uma gestão municipal eficiente

O planejamento administrativo é a chave das atitudes eficazes. Conheça os principais passos a serem dados pelos administradores públicos ao assumirem o cargo de executivo municipal. E é bom lembrar que deve haver perfeita sintonia entre o planejamento municipal com o Planejamento Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei de Orçamento Anual (LOA). A cada um dos quatro anos é fundamental ao administrador municipal programar suas ações.

gestaoeficiente

O primeiro ano é a fase de transição, planejamento e decisões. Os primeiros seis meses de mandato são decisivos. O prefeito que está saindo deve deixar clara a situação do Executivo municipal. Com base nos dados informados pela administração anterior, o novo prefeito definirá quais as áreas em que irá atuar e quanto irá investir em cada uma dessas áreas. Um início de sucesso significa que a administração tem determinado o tamanho da economia do município e a potencialidade de receitas, tem controle total sobre os gastos, tem sintonia com os municípios vizinhos e as outras esferas do poder, e principalmente, tem vários bons projetos para implementar nos anos seguintes.

AUTO SUSTENTÁVEL – O segundo ano é o momento de maximizar a receita para o município tornar-se auto-sustentável. É quando é preciso melhorar a economia. É no segundo ano de gestão que a prefeitura vai construir a saúde financeira para concretizar os planos. Precisa fortalecer uma arrecadação justa. Terminar o segundo ano com sucesso significa que a administração conseguiu um equilíbrio favorável para as receitas frente às despesas, que conhece a fundo seus contribuintes, e que obtém o máximo de arrecadação. Com isso será possível passar para a metade final do mandato focando no investimento em infra-estrutura e no social, mantendo a responsabilidade fiscal.

No terceiro ano, é preciso ver o fluxo de caixa. É o ano do equilíbrio das contas. Não pode ultrapassar as despesas em nenhuma área. É quando o trabalho aparece nas áreas de infra-estrutura, organização dos postos de saúde, escolas e transporte, o que está no PPA. Com metade do mandato cumprido, é a hora de economia e finanças estarem a serviço de um projeto de sociedade. Hora de atrair mais investimentos, gerar mais desenvolvimento social, num ciclo de crescimento sustentável.

No quarto ano é feita a prestação de contas. O município precisa estar dentro da Lei de Responsabilidade Social e cumprir os programas do governo (PPA, LDO e LOA). Com a essa receita o administrador público poderá fazer uma gestão eficiente. É necessário também escolher pessoas antenadas para cada área (ou especializada) para compor as secretarias e assim poder ajudar na gestão. Uma equipe eficiente e com planejamento tem tudo para dar certo.