Doc Ged Sistemas
  • 74 9803-7822
  • 71 9900-7822
  • 8607-7805
  • 9295-4681

Notícia


 21/08/2015 | UTILIDADE PÚBLICA

Setre vai qualificar 7,3 mil pessoas em 200 municípios


Setre vai qualificar 7,3 mil pessoas em 200 municípios

Um total de 7.320 trabalhadores de 200 municípios baianos serão qualificados, até o final do ano, pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) com recursos do Governo do Estado. A informação foi passada pelo superintendente de Desenvolvimento do Trabalho (Sudet) da Setre, Rubens Santiago, ao abrir oficina com representantes das 29 entidades executoras dos programas Qualifica Bahia e Pacto pela Vida, nesta segunda-feira (24), no Espaço Crescer da Setre.

Pelo cronograma, as atividades de qualificação profissional começam na próxima segunda-feira (31). Foram disponibilizadas 6.560 vagas no Programa Qualifica Bahia e 760 pelo Pacto pela Vida. No Programa Qualifica Bahia serão 23 cursos em Salvador, distribuídos por 64 turmas, enquanto no Pacto pela Vida serão oito cursos distribuídos em dez turmas.

Importância

O superintendente enfatizou aos executores dos programas a importância dos cursos de qualificação profissional tanto para os jovens como para os adultos. “Estejam imbuídos no propósito de atender bem ao público a ser beneficiado pelos cursos, pois esta é intenção do Governo do Estado ao proporcionar capacitação aos baianos”.

A coordenadora de Qualificação Profissional da Setre, Kadine Santos, lembrou aos representantes das entidades executoras dos programas que espera uma execução tranquila dos cursos. “A nossa expectativa é de realizar certificações únicas, em dezembro, sendo uma em Salvador e outra no território de identidade onde exista o maior número de alunos”, justifica.

Programas

O Programa Qualifica Bahia é uma ação governamental para formação social e profissional de trabalhadores e trabalhadoras na Bahia, que tem como princípio a integração com as demais ações do Sistema Nacional de Emprego (Sine). Já o Programa Pacto pela Vida tem como prioridade o atendimento a pessoas vulneráveis econômica e socialmente, com baixa renda, baixa escolaridade e moradoras das áreas identificadas com altos índices de violência.